26 de janeiro de 2010

inspire


inspire
believe
dream
create
imagine
hope

25 de janeiro de 2010

momento presente



Nossa tranqüilidade normalmente é determinada pela nossa capacidade (ou habilidade?) de viver o momento presente, independente do que aconteceu ontem ou do que poderá acontecer amanhã . Mas nem sempre se desligar é fácil, deixar de se preocupar com problemas passados e ter sempre a preocupação com a realidade futura faz parte do nosso dia a dia. Perdemos parte de nossa vida preocupados com uma variedade de coisas que vão consumindo nossos momentos e assim vamos em frente frustrados e sempre convencidos que "algum dia" será melhor que hoje .
“a vida acontece quando estamos ocupados fazendo outros planos” ... (John Lennon)
Enquanto isso posso dizer que as crianças se ocupam em crescer, pessoas que amamos estão se mudando, morrendo ou simplesmente indo embora, nossos corpos vão ficando cada vez mais fora de forma ou doentes, nossos sonhos ficando cada vez mais distantes, nossa felicidade cada vez mais adiada para o "tal dia". E não percebermos que este ensaio técnico onde acreditamos que a peça ainda não começou "é"a nossa vida ... o momento que podemos controlar e onde fazemos nossas escolhas ... Ser feliz agora, sem medo?!! Ou continuar nessa neurótica busca pelo dia perfeito onde não precisaremos mais nos preocupar com o que vai acontecer no futuro – se teremos ou näo dinheiro suficiente, se teremos filhos, se ficaremos velhos , se teremos saúde. Toda essa divagação é porque estou de férias e tendo tempo para avaliar como combater meu medo de viver "agora"... e a única conclusão que cheguei é que tenho que colocar toda minha energia no presente ... essa é a vida que escolhi e não vou ter direito a troca e muito menos reclamações.

22 de janeiro de 2010

20 de janeiro de 2010

guerreiros do arco-íris



Desde de criança as sete cores do arco-íris me encanta ... lindo, grandioso sempre fiquei intrigada e ainda fico pois não sabemos ao certo onde ele começa e onde termina ... cientificamente tenho certeza da explicação, mas prefiro pensar mais nos significados! Quem me conhece já sabe do meu fascínio pelas cores do céu, nos entardeceres, nos amanheceres, nos dias de muito sol, nos dias de muitas e poucas nuvens, enfim ... fascínio pelas mudanças diárias de cenários que ele nos proporciona e nisso o arco-íris se inclui como um evento mais celebre. Descobri que esse instante mágico cala fundo no coração dos homens o arco-íris está presente em quase todas as religiões e mitologias da humanidade. Ele representa as virtudes contidas em todas as cores : a força da vida ligada ao vermelho, a alegria trazida pelo laranja ou a sabedoria do amarelo. Fecham o ciclo o equilíbrio proporcionado pelo verde, a paz do azul e a vibração espiritual do violeta. Os gregos chamavam de Íris a bela deusa que habitava o arco celeste. O nome arco-íris é uma homenagem a ela. Íris tinha um vaso de água nas mãos, para formar o seu chão de vapor colorido, e carregava o caduceu, um bastão com duas cobras enroladas, símbolo da cura, até hoje usado para representar a medicina. Assim ela transmitia aos homens a noção de que a cor pode curar.
Mas é na tradição dos índios americanos que as sete cores celestes anunciam um novo tempo de felicidade. Diz uma profecia da tribo Cree que, numa época em que os rios do planeta estivessem envenenados, e o mar, negro de sujeira, surgiriam os guerreiros do arco-íris, que lutariam pela dignidade da Mãe Terra. Um grupo de jovens canadenses e americanos retomou a velha lenda indígena e fundou o Greenpeace, organização internacional que luta pela preservação do meio ambiente. E batizaram de Raimbow Warrior (Guerreiro do Arco-Íris) o barco que protagonizou várias ações da entidade. "Todas as pessoas que lutam por melhores condições de vida e saúde, pela cidadania e pela natureza são guerreiros do arco-íris". Não é por acaso, portanto, que o arco celeste seja um dos símbolos da Era de Aquário. As sete cores irmanadas anunciam um novo tempo, em que a fraternidade, uma das grandes qualidades deste signo, finalmente irá prevalecer sobre o individualismo. Não tenho como negar a força dessas sete cores ...

18 de janeiro de 2010

talvez um dia me acenes



Dissolver-me na luz. Encostar-me a esse muro invisível e fechar os olhos. Deixar-me ir rente ao suave calor das pálpebras, de amor em amor, de verão em verão, como quem regressa ...
talvez um dia me decifre
talvez um dia me acenes
talvez...

13 de janeiro de 2010

her dancing


...you must’ve seen her dancing in the sand…
dias atrás ... perdi o sono e no meio da minha noite de insônia depois de algumas porcarias na TV. assisti "Quase famosos" do diretor Cameron Crowe. Gostei do filme com aquele ar anos 70, mas o que me pegou mesmo foi essa musica que não saiu mais da minha cabeça ...
Sir Elton John - Tiny Dancer - Almost Famous

7 de janeiro de 2010

fui a feira


pensando e repensando as minhas motivações para a felicidade e sem muitos outros programas por aqui ... eu tenho ido a feira ... lugar cheio de cores, aromas, sons e movimentação... Talvez por isto seja tão divertida, não é a toa que minha mãe não perde uma !!!
Pura diversão ... ou diversão pura ?????

3 de janeiro de 2010

o.lhar




"O ato de ver e olhar não se limita a olhar para fora, não se limita a olhar o visível, mas também o invisível. De certa forma é o que chamamos de imaginação”
(Oliver Sacks)


Se buscarmos no dicionário sinônimos para o verbo olhar vamos achar ... Fixar os olhos em; mirar-se; ver-se; estudar; examinar; observar; pesquisar; sondar; atender a; considerar; ponderar; ação de olhar; movimento dos olhos; próprio para ver; aspecto dos olhos; modo de olhar... Neste universo de mirar-se, observar, ponderar ... o sentido da palavra o.lhar se torna muito mais ampla. Esse olhar é construído pela experiência de vida de quem observa e ele vai se construindo ao logo do tempo, pessoas com quem conviveu, lugares onde passou, os cheiros que sentiu, filmes que assistiu, musicas, livros isso constrói um olhar, esse é modo com o qual uma pessoa pode ver o mundo. Precisamos ter repertório para não cair na grande armadilha da massificação sendo condicionado a ver tudo sempre da mesma maneira. Alimentar a alma é única maneira de melhor utilizar o conjunto olho-cérebro-alma o qual nos faz únicos e traduz ao mundo o que realmente somos.